Você sabe quais são?

A língua portuguesa é falada em outros nove países além do Brasil. Proveniente do latim, possui expressões únicas como as palavras saudade e cafuné, que só existem no português.

É uma língua difícil de ser aprendida e mais difícil ainda de ser dominada: até quem fala português desde o berço comete alguns deslizes de vez em quando, o que é normal em qualquer idioma.

Até quem lida com a escrita diariamente não se lembra de algumas regras. Cada vez mais pessoas buscam aprender novas línguas, mas é importante que elas dominem o seu próprio idioma também.

Para melhorar o vocabulário, aprender mais palavras e ajustar alguns errinhos, a leitura de livros, revistas e jornais em português e estudar ajudam bastante. Fazer novos cursos também é uma ótima saída: quanto mais você aprende e treina, menos você erra.

Você sabe quais são os cinco erros de português mais comuns no Brasil? Segundo especialistas do aplicativo de ensino de idiomas Babbel, esses são os mais comuns:

“Entre eu e você”

O correto, segundo os especialistas, é usar “entre mim e você” ou “entre mim e ti”. Depois de preposição, deve-se usar “mim” ou “ti”.

“Mal” ou “mau”

“Mal” é o oposto de “bem”, enquanto “mau” é o contrário de “bom”. Na dúvida, troque a palavra por bem/ bom e veja qual faz mais sentido na frase.

“Há ou “a”

“Há”, do verbo haver, indica passado e pode ser substituído por “faz”.

Por exemplo: Nos conhecemos há dez anos; Nos conhecemos faz dez anos.

Mas o “a” faz referência à distância ou a um momento no futuro.

Por exemplo: O hospital mais próximo fica a 15 quilômetros; As eleições presidenciais acontecerão daqui a alguns meses.

“Há muitos anos”, “muitos anos atrás” ou “há muitos anos atrás”

Usar “Há” e “atrás” na mesma frase é uma redundância, já que ambas indicam passado. Use um ou outro, nunca os dois.

“Tem” ou “têm”

“Tem” e “têm” fazem parte da conjugação do verbo “ter” no presente. Mas o primeiro é usado no singular, e o segundo no plural.

“Para mim” ou “para eu”

Os dois podem estar certos, mas, se você vai continuar a frase com um verbo, deve usar “para eu”.

Por exemplo: Mariana trouxe bolo para mim; Caio pediu para eu curtir as fotos dele.

“Ao invés de” ou “em vez de”

“Ao invés de” significa “ao contrário” e deve ser usado apenas para expressar oposição.

Por exemplo: Ao invés de virar à direita, virei à esquerda.

Já “em vez de” tem um significado mais abrangente e é usado principalmente como a expressão “no lugar de”. Mas ele também pode ser usado para exprimir oposição. Por isso, recomenda-se usar “em vez de” caso esteja na dúvida.

Por exemplo: Em vez de ir de ônibus para a escola, fui de bicicleta.

Conte para a gente: qual sua maior dúvida de português?

agencia